A água é um componente crucial na indústria de alimentos e bebidas. Ela é usada em diversas etapas das operações diárias, desde a limpeza de matéria prima até sua incorporação em receitas. Muitas plantas industriais assumem que a água municipal é limpa e segura para uso. Por outro lado, manchetes recentes envolvendo qualidade de águas têm levado a uma série de questionamentos. Dessa maneira, a água municipal é realmente confiável?

Atualmente, é necessário monitorar a qualidade da água e determinar os níveis de impureza mesmo antes de seu uso. Assim, a água deve ser tratada para garantir que as suas condições não afetem o processo de produção. Uma vez usada, toda água que deixa a planta deve ser tratada para atingir os parâmetros de lançamento determinados pela legislação.

A água pode, portanto, ser alterada e tratada, tanto quimicamente quanto não quimicamente, mas como isso funciona?

Como funciona o tratamento de água?

Os métodos de tratamento são baseados em tecnologias químicas e não químicas. A desinfecção com uso de cloro é largamente disseminada, embora venha sofrendo críticas relacionadas a preocupações com toxicidade quando a água volta ao rio. Apesar disso, o mercado de químicos para o tratamento de água deve crescer mais de 5% até 2024. Especialistas acreditam que este aumento seja relacionado com o aumento na poluição de águas subterrâneas.

Tratamento não químicos também são viáveis para remover impurezas da água.

Osmose reversa

Durante o processo de purificação por osmose reversa, uma membrana semipermeável é utilizada para remover íons e partículas indesejadas. O processo pode remover tanto químicos quanto bactérias, resultando em água potável, segura para produção de alimentos e bebidas. A membrana filtra contaminantes por um processo conhecido como exclusão molecular, onde partículas de tamanhos específicos são impedidas de atravessá-la

Troca iônica

Quando contaminantes dissolvem na água, eles formam íons. Durante o tratamento por troca iônica, os contaminantes indesejados são removidos da água e substituídos por substâncias seguras. Os íons podem ser tanto positivos quanto negativos, então a substância que irá substituí-los deve apresentar a mesma carga. Tenha em mente que a troca iônica é um tratamento inespecífico e, portanto, pode remover diversos compostos, incluindo os benéficos.

Filtro de carbono

Filtros de carbono ativado podem diminuir os compostos e químicos encontrados na água. Ele pode minimizar as quantidades de chumbo e remover solventes, pesticidas e outros compostos encontrados em efluentes industriais. É importante ter em mente que o a filtração por carbono ativado não remove metais, nitrato ou contaminantes microbiológicos.

Desaeração

Águas com oxigênio dissolvido, quando não tratadas, pode causar corrosões severas à equipamentos de metal. A desaeração é um método que remove o oxigênio dissolvido, bem como outros gases presentes na água. Vapor é usado no processo, fazendo com que a água contida no desaerador aqueça até que todo o gás dissolvido seja liberado.

Sedimentação

Um sistema de sedimentação usa um tanque para remover partículas suspensas da água. Estas partículas, que apresentam maior densidade que a água, afundam para o fundo do tanque. Os contaminantes comuns que são removidos desta forma incluem: gorduras e graxas, cabelo, areia, madeira, garrafas e lodo.

Desinfecção por UV

A radiação UV (ultravioleta), embora invisível à olho nu, vem do sol e é uma forma interessante de tratamento devido à suas propriedades germicidas. Ela pode eliminar bactérias, vírus e até protozoários. A luz UV tem sido usada na purificação de água potável, bem como para as indústrias farmacêutica, cosmética, eletrônica e de bebidas.

O processo de tratamento de água, seja envolvendo métodos como osmose reversa ou UV, é essencial nos processos envolvendo alimentos e bebidas. O tratamento não só protege os equipamentos e mantém a alta qualidade do produto, mas também previne contaminações.

O futuro da água doce

Embora a Terra seja coberta por água, o acesso à fontes potáveis e seguras não é tão simples. De fato, cerca de 844 milhões de pessoas ao redor do mundo não tem acesso à fontes de água seguras.

Além disso, A falta de águas superficiais e subterrâneas, ocasionado por secas, vêm causando grandes problemas de abastecimento. Ademais, contaminações por escape de produtos químicos também são uma realidade.

Por Ana Luiza Fávaro

Referências: Tradução livre de: https://www.newfoodmagazine.com/article/89676/water-treatment-industry-work/