A meta do Acordo de Paris, que é manter o aumento da temperatura do planeta abaixo dos 2ºC a partir de 2020, aponta os caminhos para uma economia de baixo carbono. Nesse sentido, os países têm procurado estabelecer objetivos para cumprir o tratado internacional. Do mesmo modo, empresas e instituições estão imprimindo esforços nesta direção. E, algumas companhias globais apostam no hidrogênio como uma das soluções mais eficientes para atingir zero emissões e produzir energia limpa.

Entre as líderes mundiais em pesquisa e investimentos em hidrogênio, destacam-se oito empresas conhecidas por seu grau de inovação em produtos e soluções. São elas, em ordem alfabética: Air Liquide, Bosch, Daimler, Engie, Hyundai, Shell, Siemens e Toyota.

Neste post, estarão alguns projetos e investimentos desenvolvidos pelas companhias ligadas ao segmento automotivo.

Toyota

Sem dúvida, a Toyota é a empresa mais fiel nesse propósito, sendo a que mais investiu nas tecnologias de célula a combustível e hidrogênio. O seu comprometimento com essas tecnologias começou há mais de 25 anos e o seu primeiro veículo conceitual foi lançado em Osaka, em 1996.

Recentemente, a gigante japonesa tem se dedicado a reduzir custos e à produção em grande escala de carros de passeio movidos à célula a combustível. Até o final de 2018, mais de 7.500 unidades do Mirai Fuel Cell foram comercializadas em 16 países. Neste ano, ela deve inaugurar a nova fábrica do Mirai Fuel Cell com capacidade de produção anual de 30.000 veículos. O início de operação dessa fábrica causará uma revolução no mercado, pois os custos da tecnologia se tornarão finalmente competitivos.

A empresa tem também ônibus, caminhões, empilhadeiras, aplicações marítimas e até espaciais. Além disso, a Toyota é membro de uma parceria com 11 empresas japonesas chamada “Japan H2 Mobility” para a implementação de postos de abastecimento de hidrogênio no Japão. Até 2050, a companhia pretende reduzir as emissões de CO2 de seus veículos em pelo menos 90% comparado a 2010.

Hyundai

Do mesmo modo, há 20 anos, a Hyundai foi uma das primeiras montadoras a investir em tecnologias de célula a combustível e hidrogênio. Em 2018 lançou o NEXO, o primeiro SUV Fuel Cell, com autonomia de 665 km. Até meados de 2019, mais de 1000 Nexos Fuel Cell foram vendidos. Para este ano, a montadora pretende atingir a marca das 10 mil unidades comercializadas mundialmente.

Em setembro de 2019, foi formada a “Hyundai Hydrogen Mobility”, uma joint-venture com a empresa H2 Energy e a Hydrospider, Alpiq e Linde para promover a produção e o uso do hidrogênio verde na Suíça e na Europa. Como parte dessa parceria, a Hyundai Hydrogen Mobility pretende comercializar 1.600 caminhões movidos à célula a combustível. Essa iniciativa marcará a entrada da montadora no setor de veículos comerciais na Europa.

Ademais, a Hyundai Motor Group e seus fornecedores pretendem investir US$ 6,7 bilhões para aumentar sua capacidade anual de produção de sistemas à célula a combustível para 700.000 unidades em 2030. E, com isso, explorar novas aplicações desses sistemas em drones, embarcações, patinetes e empilhadeiras. Como resultado, espera-se a geração de 51.000 novos empregos nos próximos 12 anos.

Daimler

Assim como a Toyota e a Hyundai, a Daimler também foi pioneira na pesquisa e desenvolvimento de sistemas à célula a combustível e uma das que mais investiu nesse setor. Seu primeiro veículo conceitual foi lançado em 1994 e provou a viabilidade dessa tecnologia para aplicações automotivas. Logo após, em 1997, veio o primeiro ônibus e a última geração, o CITARO, já rodou 5 milhões de quilômetros na Europa.

O veículo de passeio Classe B Fuel Cell rodou 10 milhões de quilômetros na Europa e nos Estados Unidos, sendo 300 mil km com um só veículo. Desde 2009, a Daimler é membro da H2 Mobility, uma parceria para implementação de 1000 postos de abastecimento de hidrogênio na Alemanha até 2030.

Em abril deste ano, a Daimler e a Volvo anunciaram uma joint venture, com o propósito de desenvolver e produzir sistemas de células de combustível para veículos pesados. O novo empreendimento de 1,2 bilhão de euros empregará inicialmente 250 pessoas no estado de Baden-Württemberg.

De acordo com a Daimler, o uso da tecnologia de célula a combustível a hidrogênio em veículos de grande porte e que operam em longa distância é uma parte importante do quebra-cabeças e um complemento para veículos elétricos a bateria e combustíveis renováveis.

Além disso, nesta semana, a Rolls-Royce e a Daimler Trucks anunciaram planos para desenvolver conjuntamente geradores estacionários de células a combustível, como grupos geradores de emergência neutros em carbono para instalações críticas de segurança.

Bosch

Com o objetivo de se tornar líder de mercado em eletromobilidade, a Bosch tem investido no desenvolvimento de componentes de sistemas de tração elétrica e soluções para diversos tipos de aplicação, de conceitos híbridos, bateria, e célula a combustível hidrogênio.

Devido ao seu potencial de atingir escalabilidade de produção, seus sistemas de tração são de fácil integração veicular. Eles podem ainda ser aplicados em diversos segmentos, o que reduz o tempo e os custos de desenvolvimento.

Recentemente, a empresa anunciou que um dos seus objetivos para a economia de baixo carbono é contribuir para que as tecnologias do hidrogênio entrem verdadeiramente na economia real. A companhia está trabalhando em parceria com a empresa Powercell para lançar stacks de células de combustível para aplicações automotivas em 2022.

Além disso, em parceria com a empresa Ceres Power, a Bosch pretende também se posicionar com sucesso em dois outros mercados em crescimento, que é o de caminhões pesados movidos à célula a combustível e o de geradores estacionários para edifícios comerciais e residenciais.

Essas inovações atenderiam não apenas o mercado automotivo, mas também o da construção. Na estimativa da Bosch, o mercado de geradores à célula a combustível valerá mais de € 20 bilhões até 2030.

Referências: Tradução livre de Toyota Fuel CellA History of Hyundai and Fuel Cell TechnologyThe Korea Herald – Hyundai Motor aims to sell 10,100 units of Nexo this year / Industry Week – Hyundai Plans $6.7 Billion Investment to Boost Fuel-Cell Output / Into the future with NECAR and NEBUSInitiative “H2 Mobility” – Major companies sign up to hydrogen infrastructure built-up plan in GermanyRolls-Royce and Daimler partner on fuel cell productionBreakthrough in the mass market: Bosch is revving up electromobility

Foto: Auto Moto World