y

(11) 2501-2688

info@bwexpo.com.br

Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish
BW - Expo Summit Digital
y

(11) 2501-2688

info@bwexpo.com.br

Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish

A poluição das águas e o aquecimento global limitam a disponibilidade desse recursos natural, ao mesmo tempo em que seu consumo cresce. E, de acordo com a ciência, a escassez da água pode piorar. Como resultado, pode haver uma redução no desenvolvimento econômico futuro em pelo menos um terço. Mas, há uma solução. A economia circular pode salvar o sistema hídrico mundial.

Isso porque a economia circular prevê o redesenho das cadeias de suprimentos para reduzir, capturar e reutilizar o máximo possível. Nesse sentido, a água precisa desesperadamente desse pensamento. Afinal, atualmente, 80% das águas residuais voltam para o meio ambiente sem tratamento ou reutilizadas.

Para Cate Lamb, diretora de recursos hídricos do CDP, uma organização internacional sem fins lucrativos que trabalha para promover negócios sustentáveis, as corporações podem ser o catalisador para levar a sociedade à economia circular. Contudo, infelizmente, as empresas não estão tomando medidas transformadoras suficientes quanto à poluição.

O último relatório sobre a água do CDP apontou que apenas uma em cada 10 empresas de moda demonstrou consciência sobre a poluição da água. E essa é uma tendência comercial preocupante, considerando que o crescimento de uma empresa pode ser prejudicado de várias maneiras por cadeias de suprimentos lineares.

Com o objetivo de diminuir o consumo de água, a Unilever, por exemplo, desenvolveu tecnologias e produtos alinhados à economia circular da água. Um deles é o spray de lavagem a seco para roupas Day2. Entretanto, para Lamb ainda há um longo caminho a percorrer. Por isso, mais empresas devem implantar soluções para gerar maior economia de água, combinado a uma mudança nas metas corporativas e crescimento econômico.

Exemplo holandês

A economia circular pode salvar o sistema hídrico e isso acontecem na Holanda. Empresas que usam água decidiram unir forças para lidar com os altos custos de descarte de resíduos de seus processos de produção. A AquaMinerals, por exemplo, transforma resíduos em uma variedade de matérias-primas para novos produtos, entre os quais estão os pellets de fertilizantes para jardinagem, os cosméticos e as garrafas de vidro.

“Se uma empresa deseja fazer a transição de uma economia linear para uma economia circular, ela busca matérias-primas secundárias de boa qualidade e de alta qualidade. E, quando elas são escassas, significa que o valor sobe”, disse Olaf van der Kolk, diretor da AquaMinerals.

Mas a AquaMinerals ainda vende alguns de seus produtos a um preço mais barato que seus concorrentes. Isso ocorre porque alguns materiais de águas residuais recuperadas encontram regulamentações rígidas ao tentar entrar no mercado. E, podem ser agrupados como resíduos convencionais. Com isso, para competir com produtos lineares, às vezes, existirão custos extras para as empresas, diminuindo sua competitividade.

No entanto, outros setores e empresas individuais dependem das estações de tratamento regionais para limitar sua contribuição para a poluição e escassez da água. Mas, atualmente, apenas 0,25% das águas residuais na UE são reutilizadas todos os anos, enquanto a escassez de água afeta 17% da população da UE.

Inovação

Um projeto interessante é o SMART-Plant, que demonstrou tecnologias para estações de tratamento de águas residuais (ETARs) em toda a Europa. Isso incluiu a limpeza dos fluxos de águas residuais e transformação dos materiais restantes em novos produtos, como resíduos industriais ou agrícolas em biogás, produtos bioquímicos e fertilizantes de base biológica – até mesmo usando papel higiênico purificado para construir estradas mais verdes.

O professor Francesco Fatone, especialista em ciclo da água da Universidade Politécnica de Marche, é o coordenador desse projeto. “Materiais de recursos recuperados, como a celulose, estão prontos para serem reutilizados e comercializados com segurança”, disse.

Os resultados da SMART-Plant ajudam a aconselhar os formuladores de políticas sobre a melhor forma de aumentar a economia circular de água. Eles estão mostrando especificamente os benefícios econômicos e ambientais da tecnologia para ETARs em diferentes regiões. Assim, o professor Fatone espera mais economia circular da água, abrindo caminho para a reutilização desse recurso natural na Europa.

Referência: Tradução livre de parte do artigo The circular economy could save our broken water system, publicado na Phys.org.

Foto: Pixabay