(11) 2501-2688 info@bwexpo.com.br Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish
Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish

Para as tecnologias de hidrogênio serem acessíveis como o diesel e a gasolina, por exemplo, a colaboração entre governo e companhias privadas é fundamental. Isso porque é necessária a construção de uma infraestrutura robusta para escalonar a produção, armazenamento e transporte dessa fonte de energia limpa. Nesse sentido, as empresas globais de energia tem investido no hidrogênio e firmado parcerias com outras companhias e com órgãos governamentais.

Entre elas, destacam-se, em ordem alfabética: Air Liquide, Engie, Shell e Siemens.

Siemens

De fato, a Siemens acredita no potencial do hidrogênio verde, tanto é que o considera como o combustível não do futuro, mas dos dias atuais. Por isso, ela desenvolveu uma linha de produtos, chamado Silyzer, que possibilita gerar hidrogênio verde a partir de energias renováveis, usando eletrólise PEM (Proton Exchange Membrane). A companhia espera, com isso, estabelecer padrões quando se trata de geração sustentável de hidrogênio para o futuro.

Como resultado de seus esforços, a Siemens participa de inúmeros projetos envolvendo o hidrogênio verde. Um deles é a parceria num parque solar e eólico, com geração combinada de 5 mil megawatts, em Murchison (Austrália). A instalação usará o eletrolisador Siemens para converter energia das unidades solares e eólicas em hidrogênio, com a finalidade de exportar o combustível zero carbono para a Ásia. O investimento é de aproximadamente US$ 6,75 bilhões.

A Siemens também está envolvida na construção de uma planta de eletrólise de 2,2 MW que será alimentada por turbinas eólicas para produzir hidrogênio. A Salzgitter Flachstahl GmbH planeja usar a planta de eletrólise PEM para produzir aço à base de hidrogênio em suas instalações na Alemanha. Espera-se que a planta esteja em operação até o quarto trimestre de 2020.

Em abril, a Siemens Gas and Power e a Uniper assinaram um acordo de cooperação para descarbonização do setor de geração e a interconexão com os demais setores econômicos. A parceria objetiva a produção de hidrogênio verde através de fontes renováveis e a avaliação do potencial uso do hidrogênio nas fábricas de turbinas e de armazenamento de gás e usinas de carvão da Uniper. Recentemente, ela anunciou que, a partir de 202, fechará ou converterá suas usinas de carvão na Alemanha. Essa meta é vital para que a empresa atinja os objetivos de redução de CO2 até 2035.

Air Liquide

Da mesma forma, a Air Liquide aposta no hidrogênio para descarbonização do planeta. Por isso, criou o programa Blue Hydrogen, com o objetivo de descarbonizar gradualmente sua produção dedicada às aplicações de energia. Ou seja, ela espera produzir pelo menos 50% do hidrogênio necessário para essas aplicações. Para isso, tem combinado: reforma de biogás e o uso de energias renováveis, através da eletrólise da água. Além disso, tem utilizado tecnologias para captura e aprimoramento de carbono emitido durante o processo de produção de hidrogênio a partir de gás natural.

Em outubro do ano passado, a companhia anunciou investimentos US$ 150 milhões para o desenvolvimento de uma tecnologia a partir de gás natural renovável (RNG), o biogás, usando sua avançada tecnologia de membrana de separação. Isso possibilitará a produção e fornecimento de hidrogênio líquido renovável para os mercados de mobilidade na Califórnia. Esse projeto de grande escala prevê a produção de 30 toneladas de hidrogênio líquido verde por dia. Como resultado, irá contribuir para a expansão da infraestrutura de hidrogênio na região, cuja previsão é de 200 postos de abastecimento até 2025. A Califórnia atualmente tem a maior frota de veículos à célula a combustível do mundo.

A Air Liquide também anunciou o maior projeto de produção de hidrogênio verde a nível mundial no Canadá através de um eletrolizador PEM e duas novas plantas de purificação de biogás em aterros nos EUA. A purificação e valorização de biogás é um exemplo promissor de economia sustentável.

Shell

Uma das primeiras companhias petrolíferas a investir em hidrogênio, a Shell criou em 1999 a Shell Hydrogen para integrar a California Fuel Cell Partnership (CAFCP) – parceria entre as agências California Air Resources Board e California Energy Commission e outras empresas privadas: Ballard Power Systems, DaimlerChrysler, Ford, BP, e Chevron. O objetivo era promover a introdução de veículos movidos à célula a combustível no mercado. Em novembro de 2000, a CAFCP inaugurou o primeiro posto de abastecimento de hidrogênio em Sacramento.

Hoje, a Shell Hydrogen tem mais de 60 postos operando na Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos e Canadá. Na Alemanha, a empresa é membro da H2 Mobility, instituição responsável pela implementação da infraestrutura de hidrogênio no país.

Atualmente, participa do estudo de viabilidade NortH2, em parceria com a Gasunie e o Porto de Groningen. Esse será o maior projeto de hidrogênio verde do mundo produzido a partir da eletricidade eólica off-shore. A Shell e a Eneco, através da joint-venture CrossWind, são responsáveis pelo desenvolvimento e instalação das usinas no norte da Holanda.

Em 2030, entre 3 e 4 Gigawatts de eletricidade será usada para produção de hidrogênio verde. Até 2040, poderá expandir para 10 gigawatts dedicados à produção de 800.000 toneladas de hidrogênio verde, evitando a emissão de 7 megatoneladas de CO2. A Gasunie desenvolverá a infraestrutura de rede para o armazenamento e distribuição de hidrogênio.

A Shell participa ainda do edital para instalar postos de geração e abastecimento de hidrogênio verde no porto de Roterdã. A operação deve iniciar em 2023 e produzir entre 50,000 a 60,000 kg de hidrogênio verde diariamente, através de um eletrolizador de 200 MW. O combustível produzido será usado inicialmente na descarbonização da refinaria da Shell em Pernis. Em 2023, produzirá hidrogênio verde para abastecer diariamente 2.300 caminhões à célula a combustível.

Engie

Para a Engie, o hidrogênio é a chave para usar todo potencial de fontes de energia renováveis ​​e de energia livre de carbono, acelerando a transição energética. Seu objetivo é operar em toda a cadeia de hidrogênio renovável: desde a geração de energia livre de carbono até as principais aplicações: mobilidade, indústria e armazenamento de energia.

Assim, está envolvida em inúmeros projetos. Em 2019, adquiriu um eletrolizador de 3.5 MW da NEL Hydrogen cell para abastecer veículos à célula a combustível na planta da Anglo American em Mogalakwena (África do Sul). Além disso, assinou uma parceria com a Air Liquide para produzir anualmente 10.440 toneladas de hidrogênio verde, a partir de 1300 GWh de energia solar, até 2027, e o armazenamento em cavernas de sal na região sudeste da França. Os 25 municípios dessa região planejam utilizar o combustível na mobilidade e na produção de calor e refrigeração industrial.

Neste ano, em conjunto à região de Auvergne-Rhône-Alpes, Michelin, Territories e Crédit Agricole, acessou um fundo de € 14,4 milhões da Agencia Gerenciadora de Meio-Ambiente e Energia para introduzir mil veículos à célula a combustível – ônibus, táxis e vans – e 20 postos de abastecimento de hidrogênio na região.

Ademais, durante 15 dias, abasteceu o Coradia, primeiro trem à célula a combustível. Os testes realizados junto à Alstom, Arriva, ProRail e a DEKRA ocorreram em Groningen. A Holanda, inclusive, pretende introduzir, a partir de 2024, trens movidos à célula a combustível.

Por fim, está conduzindo um estudo de viabilidade para instalar uma planta de produção de hidrogênio verde na fábrica de amônia da Yara, em Pilbara (Austrália), que utiliza hidrogênio produzido a partir do gás natural. A ideia é transformá-la para que uma parcela significativa do hidrogênio seja proveniente de energia renovável. Como resultado, haverá uma queda significativa de emissões de CO2.

Referências: 

Tradução livre de Siemens – Hydrogen SolutionsSiemens and Uniper join forces to decarbonize power generationBloomberg – Siemens Backs Mega Green Power Hydrogen Project in Australia / Power Engineering – Siemens building electrolysis plant for hydrogen-based steelmaking / Air Liquid – Hydrogen Energy / FCHEA – Air Liquide Celebrates National Hydrogen & Fuel Cell Day / Shell – Hydrogen Fuel / GTM – Shell Exploring World’s Largest Green Hydrogen ProjectShell Hydrogen HistoryPlan for wind energy to power Rotterdam green hydrogen plant / Engie – Hydrogen / ENGIE successfully refuels the world’s first renewable hydrogen passenger train in test in the Netherlands / Green Car Congress – ENGIE orders 3.5 MW electrolyzer from Nel for hydrogen fuel cell mining truck project / Smart Energy – ENGIE wins additional funding for Europe’s largest hydrogen vehicles project 

Imagem: Getty Images