A Fundação Ellen MacArthur lançou uma nova publicação sobre economia circular e mudanças climáticas: Completando a Figura: Como a economia circular ajuda a enfrentar as mudanças climáticas. Apresentada durante a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP25), que ocorreu entre os dias 2 e 13 de dezembro, em Madri, na Espanha, a publicação foi desenvolvida em colaboração com a consultoria Material Economics.

O documento revela a necessidade de uma transição fundamental na abordagem global de enfrentamento das mudanças climáticas. Segundo o estudo, a transição para fontes de energia renovável levará a uma redução de apenas 55% das emissões globais de gases do efeito estufa. Assim, os 45% restantes serão alcançados a partir da forma como os produtos serão usados, como os alimentos serão produzidos e como o solo será manuseado.

A publicação enfatiza que ao aplicar a economia circular em apenas cinco áreas chave (cimento, plásticos, aço, alumínio e alimentos) pode-se eliminar quase metade das emissões restantes – uma redução de 9,3 bilhões de toneladas até 2050. Isso equivale a acabar com todas as emissões atuais de transporte do mundo inteiro.

Para a Fundação, esse exemplo fornece uma mensagem clara a outras indústrias – como da moda, a indústria de eletrônicos e embalagens – sobre o valor que a economia circular pode oferecer.

A Fundação Ellen MacArthur pede aos líderes governamentais e empresariais que adotem a economia circular como um modelo vital para zerar as emissões. “Mudanças na dieta, inovações emergentes e captura e armazenamento de carbono são as últimas peças necessárias para completar a figura de como o mundo pode zerar as emissões até 2050”.

Ao lançar o documento, a Fundação Ellen MacArthur busca ampliar o alcance da ideia de uma economia circular  como uma peça importante que faltava nas soluções para a mudança climática, demonstrando como empresas, instituições financeiras e agentes públicos ao redor do mundo podem construir uma economia próspera e resiliente ao mesmo tempo em que combatem a mudança climática.

“A transição para fontes de energia renovável tem um papel essencial no enfrentamento das mudanças climáticas, mas só isso não será suficiente. Para atingir os demais objetivos do clima, é crucial que transformemos a forma como projetamos, produzimos e usamos os produtos e os alimentos. Completar a figura por meio de uma transição para a economia circular pode nos tornar aptos a atingir as necessidades de uma população global em crescimento, ao mesmo tempo em que criamos uma economia próspera e resiliente, que pode funcionar a longo prazo”, disse Dama Ellen MacArthur, fundadora da Fundação Ellen MacArthur.

A economia circular é baseada em três princípios: eliminar resíduos e poluição, manter produtos e materiais em uso e regenerar sistemas naturais.

Para Christiana Figueres, ex-secretária executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (UNFCCC) e sócia-fundadora da Global Optimism, “a redução nas emissões de carbono representam oportunidades enormes de criatividade. Isso é real para toda empresa, para toda cidade e qualquer país. Essa é a direção para a qual precisamos nos mover, e este relatório oferece dados convincentes para confiarmos nas nossas habilidades de otimizar a descarbonização e o desenvolvimento econômico em apoio mútuo de um para o outro”.