Chinese (Simplified)EnglishPortugueseSpanish

Fonte: http://www.saopaulo.sp.gov.br/

Iniciativa, que faz parte de ações do Governo voltadas ao Vale do Ribeira, envolve grupo para atuar no Parque Estadual Ilha do Cardoso

A Fundação Florestal, responsável pela gestão das Unidades de Conservação do Estado, deu o passo inicial ao assinar o Termo de Autorização de Uso com a Associação dos Monitores Ambientais de Turismo Municipal de Cananéia (Amoamca), para a prestação dos serviços de monitoria ambiental em atrativos turísticos do Parque Estadual Ilha do Cardoso – Núcleo Perequê e em seu entorno, em Cananéia.

A assinatura ocorreu em 18 de outubro, na sequência do anúncio do Programa Vale do Futuro, anunciado pelo Governo do Estado, que prevê uma série de ações de desenvolvimento econômico e social na região do Vale do Ribeira. O programa prevê R$ 1 bilhão em investimentos públicos e atração de mais R$ 1 bilhão em recursos privados, além de oferecer 30 mil oportunidades de emprego, renda e empreendedorismo até o final de 2022.

As ações também incluem iniciativas de incentivo ao turismo e prevenção ambiental, já que a região tem 100 km de litoral e 21% de toda a Mata Atlântica remanescente do país, além de abrigar 30 comunidades quilombolas e 10 aldeias indígenas.

A Amoamca foi a entidade contemplada no Chamamento Público NNP 001/2019, publicado pela Fundação Florestal no Diário Oficial do Estado de São Paulo, em 27 de agosto. A monitoria ambiental inclui trilhas, visita ao mirante e Centro de Visitantes e passeios náuticos de caiaque e stand up paddle.

A Associação, que conta com 20 monitores, terá que cumprir diversas contrapartidas como controlar o acesso aos atrativos turísticos do Parque Estadual Ilha do Cardoso; fazer a manutenção e limpeza periódica das trilhas e manutenção preventiva das estruturas existentes nas trilhas e atrativos; efetuar a limpeza da tenda de recepção e das trilhas de acesso à Praia do Itacuruçá e a retirada e destinação correta dos resíduos deixados pelos visitantes, entre outras.

Vale ressaltar que o cumprimento dessas contrapartidas por uma associação local de monitoria ambiental traz benefícios a todos, pois desonera os cofres públicos, fomenta o empreendedorismo da região e garante renda à comunidade local através do turismo.

A presidente da entidade Noeli Mara Neves Pereira e seus associados comemoraram a assinatura do documento. “Todos nós estamos muito felizes, pois teremos mais segurança para o trabalho que exercemos há 20 anos na região. Nós já tínhamos a responsabilidade de receber o visitante e cuidar do meio ambiente. Com a assinatura do Termo, ela aumentou. Agora, é o momento de arregaçar as mangas e trabalhar ainda mais, pois ideias não faltam”.

O gerente do Vale do Ribeira e Litoral Sul, Edson Montilha de Oliveira, comemora a assinatura com a Amoamca. “Trata-se da formalização e do aprimoramento de uma parceria antiga que já temos com os monitores. Isso trará mais tranquilidade para a execução dos trabalhos que já são desenvolvidos e, com certeza, serão aprimorados a partir de agora”.

Parque Estadual da Ilha do Cardoso

O Parque Estadual da Ilha do Cardoso está localizado no extremo sul do litoral de São Paulo, no Município de Cananéia, e foi criado pelo Decreto nº 40.319, de 3 de julho de 1962. O Parque possui mais de 13.500 hectares de área de preservação, conta com sete comunidades tradicionais e detém uma das áreas mais preservadas do bioma da Mata Atlântica.

No PE Ilha do Cardoso e entorno existem atrativos para diversas modalidades de visitação pública, como trilhas para acessar cachoeiras, pontos de observação de aves e de golfinhos, vivência com a cultura caiçara, entre outros.

O Núcleo Perequê e o Núcleo Marujá são as áreas de maior visitação do Parque, possuem estruturas de apoio à pesquisa (públicas ou particulares), eventos, cursos, atividades de educação ambiental e turismo. Em 2018, a Ilha do Cardoso recebeu, aproximadamente, 48 mil visitantes entre grupos de estudantes, pesquisadores e turistas.