O Brasil conta com ações importantes promovidas por instituições, organizações sociais, empresas e empreendedores para diminuir o impacto ambiental causado pela produção de resíduos. Do mesmo modo, as prefeituras têm buscado realizar projetos para atingir essa finalidade. Só para exemplificar, o Prêmio Lixo Zero recebeu mais de 200 projetos inscritos, com 25 iniciativas premiadas, de oito estados (Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo).

Com a finalidade de promover o reconhecimento, valorização e visibilidade às práticas que contribuem e reforçam o conceito lixo zero no país, a premiação do Instituto Lixo Zero Brasil foi dividida em categorias. Foram elas: Conscientização e Educação; Reciclagem ou Sistemas de Reciclagem; Compostagem; Redução e Reuso; Tendências; Ações Comunitárias; Políticas Públicas; Comunicação e Imprensa; Tecnologia; Cidades; Escolas; Indústria; Eventos; Celebridades e Influenciadores; Beleza e Saúde e Audiovisual.

Cidades catarinenses

Nesse sentido, a Semana Lixo Zero Joinville foi uma das iniciativas premiadas. Organizada pela empresa de consultoria Rastro Sustentabilidade, a ação foi realizada em parceria com diversas instituições públicas e privadas bem como contou com a colaboração de dezenas de voluntários. Apenas em 2019 foram mobilizadas na cidade mais de quatro mil pessoas, que participaram em mais de 70 eventos realizados em vários pontos da cidade, durante dez dias.

Semelhantemente, o projeto Lixo Orgânico Zero em Lages, do Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em parceria com a Prefeitura, recebeu a homenagem do Instituto Lixo Zero Brasil. São mais de 80 instituições do município, dentre escolas, empresas e organizações como o Presídio Regional que aderiram ao projeto. A inciativa tem mais de 30 pessoas, dentre bolsistas e voluntários, que atuam na divulgação do Método Lages de Compostagem, um sistema de mini compostagem ecológica para reciclagem do lixo orgânico.

Como resultado, o projeto já conseguiu diminuir o índice de resíduo orgânico depositado em aterros sanitários de Lages para 31%. Em 2012, ano de início do projeto, o índice era de 50%. Por conseguinte, houve uma economia de mais de R$ 1 milhão aos cofres públicos, no serviço de coleta e destinação do lixo.

Por fim, o município de Chapecó também foi agraciado com a premiação por instituir um Programa Lixo Zero, no início de 2019. Em virtude de se ter esse projeto, o 2º Batalhão da Polícia Militar Ambiental da cidade implantou uma série de iniciativas, sendo certificado como o 1º quartel Lixo Zero do país, ao alcançar 92% de reaproveitamento dos resíduos produzidos.

Mato Grosso

Assim como as cidades catarinenses, em Mato Grosso, duas campanhas relacionadas à reciclagem foram premiadas. A campanha LEVE, surgiu em 2018, com o intuito de encaminhar os eletrônicos a serem descartados em diversos pontos das cidades de Cuiabá e Várzea Grande, durante a Semana Lixo Zero de Cuiabá. Como resultado, a Ecodescarte arrecadou nove toneladas de eletrônicos, sendo que a verba obtida com a destinação foi doada ao Hospital de Câncer de Mato Grosso. Na segunda edição, 15 cidades aderiram à campanha, sendo arrecadados 30 toneladas de eletrônicos.

Com o propósito de destinar o óleo de maneira correta, a campanha LEVO foi iniciada em junho de 2019 pela  Teoria Verde e da Biomavi. Atualmente, são 44 locais para descarte do óleo vegetal usado nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande. Como efeito, foram mais de 4 mil litros de óleo arrecadados na campanha, impedindo que 100 milhões de litros de águas dos rios fossem contaminados.

Em decorrência dessa iniciativa, foi aprovada nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande, a Lei do Óleo, que possibilita as escolas municipais, estaduais e particulares dos municípios, serem pontos de coleta de óleo e 30% do valor da reciclagem ser revertido em dinheiro ou benefícios para a escola.

Outras iniciativas premiadas

Na categoria Conscientização, a mobilização do Dia Mundial da Limpeza 2019, uma iniciativa do Instituto Limpa Brasil e Teoria Verde, recebeu a premiação pela ação, que contou com a 1200 cidades e mais de 320 mil pessoas, retirando mais de 5 mil toneladas de resíduos do meio ambiente.

Além disso, também foram premiados o documentário Compostagem – Por que não?, produzido pela plataforma de mídia PorQueNão?, na categoria Comunicação e Imprensa; Nicole Berndt, do blog Casa Sem Lixo, de Florianópolis, na categoria Influenciadores; o programa Aterro Zero, da Nissan, na categoria Indústria; e o Crédito de Logística Reversa da Polen, na categoria Logística Reversa, entre outros.

Foto: Jonas Pôrto/Site UDESC