O crescimento exponencial da produção de plásticos tem causado preocupações para especialistas na área ambiental. Apesar de esse material ter proporcionado uma revolução para a economia e o consumo, estudos mostram que ele é um agente causador de poluição, em especial dos oceanos. Por esse motivo, é preciso repensar seu uso, levando a uma nova economia para os plásticos.

De acordo com a WWF, em 2016, a produção de plásticos alcançou 396 milhões de toneladas. Como resultado, houve a emissão de 2 bilhões de toneladas de COna atmosfera. E, a expectativa é um aumento de mais de 40% até 2030. Além disso, apenas 20% dos resíduos de plástico produzidos são reciclados.

Assim, para combater a poluição de plásticos em sua origem é preciso, primeiramente, impedir que o material se torne um resíduo. Desse modo, a economia circular pode ser a resposta para afastar o atual modelo linear, que impulsiona o desperdício. Ao mesmo tempo, proporcionar uma nova maneira de projetar, utilizar e reutilizar o plástico.

Nesse sentido, a Fundação Ellen MacArthur lançou a iniciativa The New Plastics Economy, com o apoio de Eric and Wendy Schmidt Fund for Strategic Innovation. Com a finalidade de estabelecer um sistema global para que os plásticos nunca se tornem resíduos, a ação conta com mais de 450 organizações, que se propuseram a participar desse compromisso global da nova economia para os plásticos.

Sem dúvida, a presença de governos e empresas é fundamental, pois eles respondem por 20% da produção global de embalagens plásticas. Parte dessas organizações são marcas conhecidas. Elas se comprometeram a repensar seus modelos de negócios, com o propósito elevar a reutilização, reciclagem e compostagem dos plásticos, além de promover sua transformação em novas embalagens e produtos.

Conforme a Fundação Ellen MacArthur, a concretização dessa visão exigirá níveis de colaboração sem precedentes, não apenas globalmente, mas também em nível nacional e regional.

Pacto dos Plásticos

Uma das iniciativas da The New Plastics Economy é o Pacto dos Plásticos. A rede reúne participantes interessados em nível nacional ou regional para implementar soluções para uma economia circular de plásticos. Cada iniciativa é liderada por uma organização local, unindo governos, empresas e cidadãos, a fim de estabelecer metas locais nas seguintes áreas:

  • Eliminar embalagens plásticas com potencial de poluição através de redesenho e inovação
  • Mudar o uso único do plástico para reutilização, quando relevante
  • Garantir que todas as embalagens plásticas sejam reutilizáveis, recicláveis ​​ou compostáveis
  • Aumentar a reutilização, coleta e reciclagem ou compostagem de embalagens plásticas
  • Aumentar o conteúdo reciclado em embalagens plásticas

Atualmente, o Pacto de Plásticos conta com a participação de países como o Reino Unido, França, Chile, Holanda, África do Sul e Portugal.