O mercado waste-to-energy (WTE) tem bastante potencial de crescimento no Brasil. Desse modo, o advogado Yuri Schmitke, presidente da Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (Abren), traz propostas para gestão eficiente de resíduos em seu livro Waste-to-Energy: Recuperação Energética Como Forma Ambientalmente Adequada de Destinação dos Resíduos Sólidos Urbanos.

Com 240 páginas, a publicação é resultado de pesquisa produzida pelo autor durante seu mestrado, no Centro Universitário CEUB, em Brasilia. De acordo com Schmitke, a obra contempla a formulação de uma política pública para o desenvolvimento de usinas WTE, como forma ambientalmente adequada de destinação dos resíduos sólidos urbanos (RSU). “Ouso dizer que o livro propõe uma nova regra de conduta a ser seguida por todos para uma gestão eficiente dos RSU”, avalia.

O segmento waste-to-energy conta com uma série de tecnologias de tratamento térmico para a produção de energia elétrica a partir de resíduos sólidos. Dessa maneira, recursos tidos como inservíveis podem ser transformados em riqueza para o Brasil. Ademais, o meio ambiente e a saúde da população também podem ser beneficiados.

Metodologia

Para formular propostas para gestão eficiente de resíduos, Schmitke efetuou a comparação entre um aterro sanitário e uma usina WTE (mass burning), utilizando-se de análise de custo e benefício quantitativa e qualitativa. Ele alcançou como resultado que a usina WTE detém mais de 50% de atributos econômicos e ambientais do que um aterro sanitário.

De acordo com Schmitke, esse trabalho foi feito a partir da avaliação do panorama mundial (12 países e a União Europeia) e do cenário brasileiro, sob os aspectos estatísticos, conceituais, técnicos, regulatórios, políticos e ambientais. Para tanto, foram utilizados a Análise de Impacto Regulatório (AIR) e modelo de governança ambiental Gestão Sustentável Integrada de Resíduos (GSIR). O AIR é uma moderna ferramenta que analisa e avalia os pressupostos para a construção normativa-regulatória.

“Como resultado da análise empírica realizada, desenvolvi propostas para adequações na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Além disso, há diversas outras soluções regulatórias para o desenvolvimento da indústria WTE no Brasil. Existem avaliações de marcos regulatórios do setor de resíduos, energia elétrica e biocombustíveis, com a finalidade de a apresentar alguns desenhos que podem ser utilizados para o formulador de políticas públicas, em todos os níveis”, explica o presidente da ABREN. Dessa forma, a obra consegue apresentar propostas que garantam sustentabilidade e um meio ambiente equilibrado para as futuras gerações.

O livro é destinado aos formuladores de políticas públicas, advogados, empresários, administradores, engenheiros e gestores e especialistas de resíduos sólidos.

A obra Waste-to-Energy: Recuperação Energética Como Forma Ambientalmente Adequada de Destinação dos Resíduos Sólidos Urbanos, pode ser adquirida, via internet, neste link ou via Amazon.