A iniciativa pioneira da SAE Brasil e da Ballard Power Systems conquistou as universidades de engenharia do Brasil. Como resultado, quinze universidades, de norte a sul do país, estão inscritas no desafio estudantil SAE Brasil & Ballard Student H2 Challenge. São elas:

  • Universidade Federal de Itajubá – Equipe Cheetah E-Racing
  • Escola de Engenharia de Piracicaba – Equipe EEP Baja
  • Universidade Federal do ABC – Equipe Baja UFABC
  • Instituto Presbiteriano Mackenzie – Equipe Mack Gear
  • FSG – Centro Universitário da Serra Gaúcha – Equipe Clauber Ferasso
  • Centro Universitário Facens – Equipe B’Energy Racing
  • Universidade Estadual de Campinas – Equipe Unicamp Baja SAE
  • Instituto Mauá de Tecnologia – Equipe Mauá Racing
  • Universidade Federal de Minas Gerais – Equipe Tesla UFMG
  • SENAI CIMATEC – Equipe TEC H2-Racing
  • Universidade Federal de Lavras – Equipe Hybrid Fórmula-E
  • Centro Universitário FEI – Equipe Fórmula FEI H2
  • Universidade Federal do Paraná – Equipe UFPR Fórmula SAE
  • Centro Universitário Facens – Equipe DEDA Team
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro – Equipe Minerva Baja
Cursos preparatórios

Primeiramente, o desafio estudantil está promovendo cursos preparatórios gratuitos entre os dias 13 e 29 de julho. Desse modo, todas as universidades poderão acompanhar a programação, que abordará temas relacionados à tecnologia de célula a combustível, veículos elétricos à célula a combustível, stack de célula a combustível da Ballard, segurança do hidrogênio, fontes de hidrogênio, tendências internacionais da mobilidade a H2 e design da mobilidade.

O primeiro curso, realizado no dia 13 de julho, trouxe o engenheiro e professor Sidney Gonçalves de Oliveira Sobrinho para tratar dos veículos elétricos à célula a combustível. Os 163 estudantes inscritos puderam acompanhar um conteúdo altamente qualificado de forma virtual.

Afinal, o professor Sidney foi quem projetou e construiu os três ônibus movidos a célula a combustível do projeto PNUD/GEF. Esses veículos rodaram, entre janeiro e março de 2016, mais de 12.000 km no corredor ABD da EMTU/SP. Com isso, foi possível transportar 18.000 passageiros e atender quatro municipalidades na região metropolitana de São Paulo.

Próximas etapas

Logo após, em agosto, têm início as etapas digitais classificatórias, no qual apenas dez universidades serão selecionadas para construir os veículos do tipo baja movidos a célula a combustível. As equipes escolhidas participarão, portanto, das etapas finais presenciais na BW Expo, Summit e Digital 2020, considerando o cenário da Covid-19.

Sem dúvida, a participação da Ballard Power Systems tem sido fundamental para essa iniciativa. Isso porque, além de doar 10 stacks de 2,1 kW refrigerada a ar para a construção dos veículos, tem concedido seu apoio técnico e promoveu um curso online sobre a tecnologia. Atualmente, a empresa canadense é líder mundial no desenvolvimento, produção e comercialização de células a combustível.

De acordo com a curadora do Núcleo Transformação Energética – Hidrogênio, Monica Saraiva Panik, esse desafio estudantil tem o objetivo de transferir conhecimento e experiência para as universidades brasileiras sobre sistemas à célula a combustível para aplicação automotiva. Além disso, dará a oportunidade aos grupos estudantis envolvidos de trabalhar com tecnologia de ponta e com engenheiros experientes da indústria nacional e internacional. Certamente, a cooperação entre universidades e a indústria promove a capacitação de profissionais, integrando-os no mercado simultaneamente ao seu período de formação acadêmica.