O setor de gestão de resíduos oferece uma ampla oportunidade para produção de energia. E, na Alemanha, esse potencial já vem sendo utilizado, uma vez que na Europa é o país que produz mais energia a partir de resíduos. O processo mais utilizado é o tratamento térmico em plantas de incineração (WIPs), usando combustíveis derivados de resíduos (CDR).

O uso do biogás para gerar energia também está crescendo na Alemanha. Ele é produzido a partir da digestão anaeróbica de resíduos orgânicos para logo após ser transformado em eletricidade e gás. Como resultado, o setor de gestão de resíduos está contribuindo para a descentralização do fornecimento de energia. E, principalmente, está auxiliando na transição energética do país, ao possibilitar a redução de emissões de gases de efeito estufa.

Nesse sentido, o segmento produz cerca de 19 TWh por ano de energia a partir de resíduos. Um dos principais benefícios desse tipo de energia é o suprimento contínuo que, às vezes, os sistemas eólico e solar nem sempre são capazes de fornecer. Além disso, essa continuidade ajuda na estabilização da rede energética do país. Atualmente, são 66 usinas de incineração de resíduos e 32 usinas de CDR.

Ademais, o setor de gestão de resíduos também gera uma quantidade significativa de calor. Somadas, por exemplo, as plantas de incineração produzem cerca de 14 TWh por ano. Esse montante poderia ser usado para aquecer aproximadamente 85 milhões de m² de área útil, ou seja, atendendo mais de 2,1 milhões de pessoas.

A Alemanha pretende com a transição energética garantir que o país tenha um suprimento confiável de energia acessível e verde. A energia renovável, desse modo, desempenha um papel central, juntamente com a necessidade de um suprimento descentralizado de energia.

Divulgação no Brasil

Para apresentar as tecnologias alemãs e, também, de outros países europeus, a Associação Brasileira de Recuperação Energética de Resíduos (ABREN) promoveu um evento internacional, que discutiu as principais opções tecnológicas para a criação e operacionalização de projetos de recuperação energética de resíduos sólidos urbanos.

O evento virtual reuniu especialistas da Alemanha, França e Suíça, que apresentaram as mais modernas opções tecnológicas em uso nas usinas ao redor do mundo. São eles: o engenheiro Edmund Fleck, dirigente de três empresas alemãs do setor de RSU; o engenheiro Christophe Cord’Homme, diretor de Desenvolvimento do setor de Meio Ambiente e Energia da CNIM (uma das maiores empresas de execução de projetos de WtE do mundo); e Roland Greil, diretor de vendas sênior da empresa suíça Hitachi Zosen Inova.

Para conferir a íntegra desse evento, basta acessar este link.

Referências: ABREN e Tradução livre de Remondis – The role of the waste management sector in Germany’s energy transition

Foto: Wikimedia Commons